Skip to content
O que foi o Existencialismo? O que foi o Existencialismo?

• outubro 11, 2018

aluno:

Oi, posso perguntar algo de filosofia aqui?

tutor:

Olá Priscilla

Claro que pode fazer a pergunta que quiser

É só fazer que eu tento responder

Já estudei bastante filosofia também

aluno:

Hahha tá

É sobre kierkegaard

No slide sobre o pensamento dele diz no final

A verdade é subjetiva. Ligada à relação entre o ser existente diante do Absoluto

Não entendi oq qr dizer

tutor:

Entendo

Vou tentar te explicar

Kierkegaard é o conhecido como Pai do Existencialismo não é a toa

Esse Existencialismo é centrado na Liberdade de Escolha e na Busca por propósito, baseado na possibilidade de nós indivíduos podermos escolher o que nós queremos não sendo necessária a existência de uma imagem divina, estatal, social

aluno:

Ta

tutor:

Justamente por isso ele vai de encontro a Hegel

Pois ele acredita que é a nossa vontade e não o contesto histórico, como acreditava Hegel, que é responsável por nossas escolhas.

Justamente por esse “superestima” da nossa vontade que vem o subjetivimos

Pense nas inúmeras pessoas

quantas possibilidade de vontades e de escolhas (nisso consiste a subjetividade)

entende?

E quando vc centraliza a vontade do homem e em todas as possibilidades de escolha. Vc “tira” a responsabilidade das instituições previamente instituidas e coloca sobre o indivíduo. Nessa ideologia que vem o sofrimento. Pois o egoísmo se torna muito mais palpável

Daí vem os modos de vida Estético, modo de vida Ético e o modo de vida religioso

Vc já ouviu falar dos modos de vida apresentados por Kierkegaard??

aluno:

Eu acho q Não

Mas o professor falou muitas coisas

tutor:

Nisso que consta a subjetividade “Vc e somente vc pode escolher o modo de vida que irá levar” (vc pode conhecer o modo de vida Ético, mais ainda assim escolher viver o modo de vida Estético)

aluno:

Calma sim

Ele falou

tutor:

Por isso tanta subjetividade

Pq se fosse como os Gregos acreditavam se vc tivesse uma educação boa, bons costumes passados, instituições que contribuissem pra vc viver o modo de vida Ético, vc então viveria. Entretanto, Kierkegaard defende exatamente o contrário, ele defende o subjetivismo da humanidade, como eu te falei, vc pode conhecer todos os modos de vida e ser ensinado de todos os modos a ser uma pessoa ética e ainda assim escolher viver diferente disso

Por isso tão subjetivo, entende??

aluno:

Aaah sim

tutor:

Por isso enaltecer o individo (quanto a escolha) pois no final de tudo vc pode ter sido ensinado baseado em diversos valores, mas a subjetividade da sua escolha que vai fazer vc viver o modo de vida que vc bem entender

É essencialmente isso

aluno:

Ah entendi

tutor:

E faz sentido essa frase que vc mandou “A verdade é subjetiva” justamente por todo esse pensamento que eu já te falei

aluno:

Qr dizee então q tipo a minha verdade pode nao ser a sua verdade?

tutor:

E também associada por essa relação entre o ser existente diante do absoluto (com todas essas possibilidades da subjetividade o absoluto caracteriza apenas mais uma possibilidade entre tantas outras, e a individualidade do ser existente cresce sobre a do Absoluto quando vc analisa alguns modos de vida entre os tantos possíveis que ele mesmo kierkegaard caracteriza)

Exatamente isso

Pois a verdade pra quem vive um modo de vida religioso, e já se “libertou” de todos aqueles prazeres que a vida pode proporcionar se quiser, pode não ser a mesma que a da pessoa que vive o modo de vida Estético. E é exatamente isso que Kierkegaard defende a liberdade da individualidade do ser

aluno:

Aaaahhh entendi

Muitoooo obrigadaaa

tutor:

Por nada

Tem alguma dúvida ainda??

aluno:

Sobre esse assunto não, mas ainda vou ver mais algumas coisas do existencialismo cristão

Se river alguma dúvida eu te chamo

tutor:

Qualquer coisa pode falar

Muito boa questão mesmo

Vou marcar sua questão como “Questão TOP”

heheheheheeheh

Muito bons estudos

aluno:

Hahaha obrigadaa

tutor:

tenho certeza que vc irá aprender bastante

Até mais

call to action tutor mundi

...

Lendas dos povos antigos Lendas dos povos antigos

• abril 26, 2017

50351240_s

Pergunta enviada: As lendas sempre foram alicerces para os povos antigos. Os gregos, por exemplo, tributavam suas origens aos heróis que protagonizam a poesia de Homero, e os romanos, aos irmãos Rômulo e Remo, filhos do deus Marte, eternizados no relato do historiador Tito Livio.

Essas explicações lendárias:

a) Alteraram ou reinventaram fatos históricos, justificando alguma condição ou ação posterior dos homens.
b) Sempre se basearam em acontecimentos reais, com o único propósito de explicar o passado.
c) Confirmaram que as civilizações, em sua origem, não possuem vínculos com seu passado lendário, denominado idade das trevas.
d) Afirmam uma reação inconsciente de todos os povos, que tem por fundamento o ideal religioso, desligado de qualquer interesse político.
e) São apenas formas artísticas ou literárias independentes dos interesses políticos, por serem estéticas.

Aluno: Oi, tudo bem? É uma questão sobre filosofia, pode me explicar do porque a resposta certa é a letra A?

Tutor: Oi, Tudo bem!

Tutor: A questão trata das lendas e cita o caso dos povos gregos e romanos
De fato algumas lendas acabaram por alterar alguns fatos históricos, geralmente por interesses políticos ou religiosos.

Tutor: Se você olhar na página da Wikipédia sobre a fundação de Roma, por exemplo, lá diz o seguinte: “Naquela época, as lendas oriundas de textos mais antigos foram trabalhadas e fundidas num conto único, no qual o passado mítico foi interpretado em função dos interesses do império.”

Aluno: Entendi, muito obrigada, viu?

Tutor: Por nada =) até mais

...