Tem vontade de estudar em uma das principais universidades do Brasil e não sabe como chegar lá? Descubra como é estudar na USP – Universidade de São Paulo com o tutor do aplicativo TutorMundi, Henrique Kazuo.

  1. Me conta mais um pouco sobre você, quantos anos você tem? De onde você veio? Qual é o seu curso e universidade? 

Tenho 26 anos. Nascido e criado em São Paulo. Sempre gostei de números e principalmente mexer com contas. Hoje curso Engenharia de Produção na USP e já passei por duas outras universidades antes (UFABC e UNICAMP), todas no mesmo curso. Optei pela USP, pois era meu sonho desde pequeno. 

2. Estudos sempre foram prioridade na sua vida? Quando você percebeu que poderia investir mais tempo nos estudos?

Prioridade, prioridade não. Sempre me dediquei aos estudos sim, mas não era aluno exemplar nem sempre tirava notas boas. Até a entrada no ensino médio, meu desempenho acadêmico era mediano. Depois do segundo ano do colegial, a coisa começou a mudar, pois vi que precisava me dedicar mais para conseguir uma boa universidade e uma boa colocação no mercado de trabalho. 

3. Como foi para você estudar para entrar em uma universidade tão boa quanto a USP?

Inicialmente, meu sonho ao término da escola era cursar Medicina. Talvez um delírio, pois hoje vejo que não levaria muito jeito para tal, tão facilmente. Mas por causa desse sonho, dediquei-me alguns anos em cursinhos, até que depois de 2 anos tentando, resolvi mudar para algo que já vinha me cativando os pensamentos: engenharia. Entrei na UFABC no meio do ano, e logo após, saiu o resultado da UNICAMP. Fiz 1 ano por lá. As coisas lá eram boas, mas como o campus era muito recente, carecia de várias coisas… Até que prestei a FUVEST (vestibular da USP – Universidade de São Paulo) mais uma vez, sem ter estudado nada. E veio a boa notícia. Assim me mudei para a USP, voltei para casa (em são Paulo) e agora estou aqui. 

henrique universidade de são paulo
Tutor Henrique Kazuo, que cursa Engenharia de Produção na USP – Universidade de São Paulo

4. Você tinha algum cronograma de estudos? Alguma matéria que era uma pedra no sapato? Alguma matéria que gostava mais do que as outras?

Sim. Cronograma de estudos é essencial para se manter em dia com as matérias. Saber o que estudar e quando estudar também são importantes. Eu tinha meu cronograma de estudos semanal. Todas as segundas feiras eu programava o que ia estudar durante a semana. Minhas matérias preferidas eram Matematica e Física. A minha maior pedra no sapato era Gramática.

5. Qual era a sua maior barreira para estudar?

Acordar cedo (rs). Mas é verdade. Acordar cedo é uma tarefa que estou em desenvolvimento contínuo.

Depois que acordo, o dia flui que é uma beleza e eu só paro na hora de dormir. Mas até acordar…

6. Você se inspirou em alguém para chegar onde está hoje? 

Sim, meu pai. Meu pai cursou a mesma universidade que eu e desde pequeno me demonstrava o amor pela profissão.

7. Qual é o seu maior sonho?

Tenho muitos sonhos, não consigo definir apenas um. Sonho em poder ter meu próprio negócio, gerando valor para o mundo ao meu redor. Sonho em ser um profissional de sucesso e de poder trazer impacto positivo ao mundo como um todo. 

8. Qual pessoa te inspira mais hoje a chegar nesse sonho?

Meus pais, meus amigos e todos que comigo possuem algum afeto além do social.

9. Você já teve alguém que te ajudasse nos estudos? Algum tutor? Como foi essa experiência?

Sim. Meu pai me ajudava bastante nas disciplinas da escola. Tinha muitos amigos inteligentes na escola, mas poucos que realmente fizesse sentar numa cadeira e ensinar as coisas. A maioria dos meus amigos também eram medianos, alguns bem medíocres, outros mais dedicados. Por isso não tive um tutor em especifico a não ser meu pai. Meu pai ainda tenta se lembrar de assuntos da faculdade, mas como já são assuntos mais trabalhosos, as vezes não dá certo e eu acabo tendo que procurar outros meios.

10. Como você encontrou o TutorMundi?

Encontrei graças a um belíssimo facebook ad (aplausos para o marketing do TutorMundi) que foi impulsionado na época da divulgação da plataforma em busca de tutores. “Ensinar pelo celular enquanto curte uma piscina” foi demais. Aquilo realmente me chocou e eu fui atrás. Me identifiquei com a plataforma no brief da página e isso me motivou ainda mais a querer fazer parte.

11. O que você mais aprendeu com o TutorMundi?

A experiencia no Tutormundi é, sem sombra de dúvidas, excepcional. Na época do cursinho, eu me tornei um “Carlos” na vida de muita gente que eu conversava, pois eu sempre estava à frente nas disciplinas de exatas. Com isso, tomei gosto pelo ensinar. Mas não o ensinar tradicional, de giz lousa e saliva, de um jeito que as pessoas pudessem compreender. Não apenas decorar fórmulas, mas fazer entender o porquê de se utilizar tal artificio. E o Tutormundi permite isso, através dos chats. Os chats são uma maneira altamente impactante, pois traz ao mundo dos alunos uma realidade que eles já estão acostumados de troca de mensagens instantâneas. E isso é sensacional. Hoje, a nova geração já nasce com a cara nos smartphones. Os alunos não são mais os mesmos, pois os tempos não são mais os mesmos. Ensinar de um jeito simples, rápido e descontraído é o maior e melhor característica do app.

12. Você lembra de alguma situação inusitada em que teve de ensinar pelo TutorMundi?

Tenho várias. Algumas comigo, outras com alun@s. Já lecionei matérias para uma aluna e ela, depois de ter percebido minha rapidez nas respostas, me chamou em uma outra data dizendo que estava na prova e queria as respostas das perguntas.. Até tirou foto da prova e me mandou. Expliquei que o intuito da plataforma não era bem aquele e… O chat caiu e tomei 1 estrela. Já atendi dúvida em uma vídeo conferencia rolando. 

13. O que mais te motiva a ensinar pelo TutorMundi

O que me motiva bastante é poder ensinar o que eu tenho aprendido durante anos de estudo e de poder realmente fazer algum impacto com esse conhecimento além da minha aprovação no vestibular. Acredito muito na missão do tutormundi e de como ele opera para atingir esse objetivo. O jeito de ensinar, sem sombra de dúvidas, é melhor do que o ensino. Ensinar, qualquer busca no google ensina, mas do jeito do app, isso é disruptivo.

14. Como foi seu primeiro dia na USP?

Perdido, muitas perguntas e poucas respostas. Conheci gente de outros cursos de engenharia que se tornaram amigos até hoje, mas a maioria nem cheguei a ver mais na universidade. Cheguei quando o trote já havia encerrado, e voltei para casa limpo (ufa)!

15. Como é sua rotina na USP?

Uma das belezas das universidades da USP é poder montar sua grade horária com qualquer disciplina disponível e de poder frequentar outras faculdades dentro da Universidade de São Paulo. A maioria dos semestres da Poli possui uma grade recomendada de período integral, portanto, minha rotina na USP começa as 7h30 e termina as 17h, quase todos os dias.

16. O que você mais gosta na USP?

O fato de poder estar dentro de uma cidade universitária, com muitas pessoas, muitas faculdades e muito networking. Aqui na cidade universitária estão a maioria das faculdades da USP. Isso permite que você tenha contato frequente com varias outras pessoas de outros cursos e, com isso, se engaje em várias áreas do conhecimento, de trabalho e de lazer (festas).

17. O que você recomendaria para quem está pensando em entrar na USP ano que vem?

Estude. Estude bastante. Dependendo do curso que você escolher, esse caminho será longo e trabalhoso, mas o tesouro se esconde no final. Para você chegar onde poucos chegam, é preciso que você faça o que poucos fazem.

18. Para finalizar, qual é o seu recado para os tutores do app? E qual é o seu recado para os alunos?

Para os tutores: Primeiramente, parabéns. Assim como eu, vocês foram convidados a participar de uma revolução no ensino. As aulas tradicionais de 1h, 2h com cadeiras duras, ambiente pesado e professores chatos estão com os dias contados. A transição é lenta, mas está acontecendo. Os jovens de hoje em dia não aguentam mais prestar atenção mais do que 20 minutos em uma mesma coisa. A realidade da vida mudou. As coisas acontecem muito rápido, muitas informações chegam ao mesmo tempo. A nova geração (e nós também, em certo ponto) não aguenta olhar 20 minutos para a lousa, mas ficam horas na tela de um smartphone. 

Para os alunos: Primeiramente, obrigado. Obrigado não por apenas ser um usuário da plataforma, mas por participar dessa revolução conosco e colocar lenha nessa fogueira do aprendizado. Um aprendizado que vai além das salas de aula, além dos métodos tradicionais (arcaicos, por assim dizer) de ensino. Essa revolução está na palma de suas mãos: Aprender por chat, direto do seu celular, com um tutor lhe assessorando em suas maiores dúvidas, sobre tudo que precisar saber. A equipe do TutorMundi é ciente dessa transformação no ensino e acompanha de perto a realidade dos alunos, inovando a cada dia e sempre trazendo conteúdo de qualidade aos alunos. Obrigado pelo voto de confiança. Tenho certeza de que muita coisa lhe aguarda daqui para frente! Bons estudos!

Gostou dessa entrevista? Veja mais dicas do Henrique nesse post e sua mensagem nesse vídeo.